domingo, 13 de dezembro de 2009

Falar é fácil!!!

Mais ou menos, nem sempre falar é fácil, pra mim entao que tenho uma trava na língua quando tenho que falar o que sinto, penso, porque estou triste, chateada... torna-se quase impossível... mas estou tentanto, e aos poucos vou percebendo que nao mata ninguém e aquele peso que estou tao acostumada a segurar torna-se bem mais leve depois que, simplesmente, falo...
Sempre aprendendo.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

OM CHANDRAYA NAMAH




A fúria passou

A fúria passou, chorei e passou.
Ainda me sinto perdida, angustiada ... mas aquela raiva quente como o fogo que vai incendiando tudo, passou.
Agora, é tentar encontrar motivações para estar mais tranquila, o que sinto nao é tristeza, é desespero para que algo aconteça e melhore. Olho para a realidade e sinto isso: desespero. Nao sei mais o que fazer para que a coisa vá pra frente, e esperar me mata, me deixa agoniada...
Por isso, o que mais quero é tranquilidade.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Nao tem jeito...

Basta uma coisinha para que tudo venha a tona outra vez, às vezes algo que parece insignificante (para os outros) me faz odiar tudo aquilo que estou vivendo, e meu olhar para a cidade, as pessoas fica extremamente cruel... acho a cidade suja, fedida, com pessoas sem educaçao, tem lixo para todos os lugares... me da uma raiva tao grande, olhar e me ver aqui... e tudo por causa de uma coisinha de nada...
É horrível pensar assim e, principalmente, estar assim, sei muito bem disso, mas é exatamente assim que estou e daria qualquer coisa para que algo muito, mas muito bom venha a acontecer... porque já nao sei mais o que pensar, respirar, pensar positivo... agora mesmo, eu sentaria, choraria e mandaria todo mundo para a merda.
Mas nada disso acontecerá e eu, mais uma vez, vou controlar a minha raiva. Como sempre, claro.

Lamentaçoes...

Vejo que nao paro de me lamentar e como isso é chato. Nao consigo aproveitar os bons momentos, é como comer doce, na hora uma delícia e depois, vem a culpa, arrependimento...

Os momentos bons duram muito pouco, fico feliz e logo... o medo, a angústia, a tristeza ... estou lutando a cada dia com um pessoa muito forte: eu. E esse eu fica apenas lamentando-se, até quando?

Tenho medo de viver do passado e fechar os olhos para o presente, nao conseguir viver o presente tal qual ele é... e ser uma pessoa de histórias, aquela que fez mas já nao faz... porque hoje, nao faço. Lamento.

Como encontrar a vontade outra vez? Como realmente viver? Agir???

Boas perguntas...

domingo, 6 de dezembro de 2009

1 mês...

Sem escrever e ainda nao consigo me concentrar para fazer isso.

Estou num barquinho em meio a tempestade e quando penso que passou, vejo que é apenas um breve momento de sol.

Difícil, muito difícil.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Desde Buenos Aires

Estou em Buenos Aires e, hoje, li que terei um encontro marcante, nao hà dùvidas...

Feliz e triste ao mesmo tempo, è possìvel?

Sim... porque tive uma manha triste, em que perdi a oprtunidade de dizer ao Rafa quanto o amo.

domingo, 25 de outubro de 2009

palavras e mais, e mais, e mais ... e sempre

Agora, é como uma caganeira verbal... gostaria de transformar em palavras tudo que está dando volta em minha cabeça, colocar pra fora tudo de uma só vez: histórias, frases, vontades, sonhos... tudo... mesmo. Dar um tapa pra ver se eu acordo de uma vez dessa ressaca, sim, do embrulho no estômago que me deixa assim, sem força, sem ânimo.
Já chega de chorar as pitangas, nao?? O leite já derramou, já secou... o trem já passou, já foi e voltou... Nao é o momento de tirar a poeira??? Correr atrás e chega da lenga, lenga...
Sim, há coisas para serem resolvidas... sim, há que controlar a ansiedade, mas tenho que fazer isso com energia.
Vou... é isso. Vou.

...

Suas caminhadas eram para libertar sua alma, no momento em que sentia o vento e seguia num ritmo rápido, todo seu corpo começava a tranquilizar-se, ali, em meio ao calçadao nao via, nao ouvia, apenas andava...
Horas depois, suas pernas queriam parar, mas o coraçao já tinha ido pra bem longe e voltado, ela estava livre.
Começaria a ser ela? Sim.
Lembrou-se da panela de água fervendo, deveria voltar.


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Coisas engraçadas

Eu tenho umas coisas engraçadas, como ficar pensando no "quem diria", sempre tenho isso e funciona assim:
De uma hora para outra estou num lugar que nunca imaginei que estaria, por exemplo, uma sala de aula num colégio em Recife, e eu fico pensando, quem diria que eu poderia estar aqui? Parece loucura da minha cabeça, mas adoro vivenciar coisas assim...
Entao, fiquei pensando em quantos "quem diria" eu já vivi e tenho certeza que se nao fosse por eles eu nao seria eu.
Loucura, eu sei. Mas eu sou assim, meio parafusos a menos.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dias sem nada...

Há dias nao escrevo nada, foi um período de silêncio porque andava meio perdida... até que numa noite (a sexta passada) teclando com um amigo que nao vejo há anos, percebi o quanto eu estava dando força ao meu desanimo e como preciso começar a me ouvir... como ele disse: "trabalhar a vontade... o músculo esse que está tao dolorido."

A conversa foi tao boa e, agora, sinto-me muito melhor e a vontade, ainda que pequena, começa a crescer.

Obrigada, Clayton.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Lembrei!


Que a vida é muito mais que uma carteira cheia de dinheiro,
Que aquele vestido da vitrine,
O carro do ano

Ela é o amor que carregamos,
As lembranças que guardamos

E aquele obrigado que recebemos, mesmo depois de dar uma bronca... ainda que seja de uma única pessoa.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

31

Um dos textos que mais gosto daqui é o “Adeus 29”, porque naquele momento eu estava entrando na casinha dos 30 e essa dúvida, “o que será agora?”, me deixava animada, feliz...
E um ano se passou...
Fui a Lisboa, congresso em Valência, fui para o Porto, Madrid, apresentei outro congresso, em Ciudad Real, desmontei a minha casa em Barcelona, voltei para o Brasil, cheguei em Recife, não gostei, fui pra São Paulo por uns dias, outro congresso, na Puc, me assustei, voltei pra Recife, comecei a trabalhar, vi que não é bem isso, acostumei com a cidade... cheguei nos 31... e tudo isso com o coração feito montanha russa...
A verdade é que no dia do meu aniversário eu estava triste, fiquei bem quietinha, estava assustada e com medo, será que é muita coisa para uma pessoa só??? Será que eu quero tanta intensidade? Ou uma casinha simplesinha com gerânios em flor na janela?

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Tristeza astral???

Dizem que quando o aniversário se aproxima vivemos um inferno astral, mas há uma tristeza astral???
Porque me sinto meio triste por estar longe das pessoas e, porque o ano passado foi um grande aniversário, cheguei nos 30 rodeada de amigos...

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

E os dias vao passando
E eu estou chegando????
Acho que mais próximo do que pensava

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Para a Alê!!!

Quando alguém tem que ir, nosso coraçao fica apertadinho
Cheio de lágrimas e um nó doído na garganta
Mas as lembranças e os bons momentos nos ajudam a seguir o caminho
Porque lá na frente há uma parada.
É a do reencontro.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Velho sentimento

De vez em quando a saudade bate com tanta força.
Por que no meu coraçao sempre há este sentimento?
Fecho os olhos e lembro dos bons momentos e, entao, ela vem.

sábado, 29 de agosto de 2009

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Luz...

Senti meu coraçao se encher de luz

E agora consigo ver que todas estas dificuldades sao para eu alcançar algo maior

Luz que me ilumina o caminho e que me ajuda a seguir
Sol que brilha à noite e a qualquer hora Me fazendo sorrir
Claridade, fonte de amor que me acalma e seduz

Essa luz, Só pode ser Jesus


terça-feira, 25 de agosto de 2009

Confusa!!!















As flores são sempre coloridas.
Mas o jardim, algumas vezes, está mal cuidado.
Sequinho.

Ali, o passarinho fica cantando.
A chuva cai e o sol não vem.

As estrelas sempre são da noite.
Porque a noite é escura e dá medo.
O brilho delas é pra gente ficar mais confiante.

E a minha estrelinha tá escondida atrás daquela nuvem.
Quando nuvem passar, ela voltará a brilhar.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Eu olho para o mundo como quem vê uma caixinha cheia de surpresas, por isso, tenho tanta necessidade de nao me sentir presa.
Minha alma precisa estar e sentir-se livre para suas descobertas e nem sempre sao grandes... um por-do-sol desde a janela do aviao, uma música, um jardim florido... Meu coraçao e alma sao andarilhos, existem para estarem por aí... olhando a janela do mundo.
Alma cigana. Coraçao curioso.
Há uma necessidade imensa de saborear o mundo, cheirar, sentir...
Algo, lá no fundo, me diz: prove, vá, acredite. Tenho que deixar o peito cheio de lembranças, pois sao elas que me deixam viva.
Um pouco borboleta, pássaro, nao sou da gaiola, sou do mundo... por isso, vivo pra lá e pra cá.



quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Sempre Clarice...

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."
Clarice Lispector

domingo, 9 de agosto de 2009

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

E eu? Cadê?

Sempre fui dessas pessoas que tem sonhos e correm atrás deles com unhas e dentes, e muitos dos meus sonhos foram realizados, às vezes, de uma forma inesperada, nao planejada, mas corri e resolvi.
Agora, me sinto paralizada, confusa e sem saber ao certo o que está acontecendo, a Clarice disse que era tao misteriosa que nem ela se entendia... será que sou misteriosa?
Olho pra dentro de mim e vejo um corredor escuro, nao sei onde estao os sonhos, as portas estao trancadas e sinto aquela angústia e vontade de estar só, chorar... bater o pé, procurar uma luz para poder se encontrar outra vez, aquela vontade de realizar as coisas que sempre me levavam para frente, mas nem sempre as pessoas entendem.
Muitas vezes, os outros acham que só estamos bem quando estamos sorrindo, sentindo-se feliz e contente, nao entendem que chegar quieta, fechar a porta e chorar é parte de um processo (já conhecido).
Sinto-me arracanda de uma situaçao tranquila, cofortável e feliz, sim... eu me sentia muito feliz e, agora, começar de novo, novo trabalho, fazer novos amigos, enfrentar velhos problemas me deixam sem energia, nao me sinto com "ganas" de enfrentar nada, tá tudo escondido e escuro aqui dentro e quando uma pequena luz se acende, vejo tudo fora do lugar, vejo lembranças que nao queria ver, problemas que voltaram, coisas que me incomodam... nao sei como vou organizar o interno para que meu externo fique bem, mas a única coisa que queria nesse momento é entendimento: quero ficar quieta, chorar, escutar minhas músicas, ficar deitada na cama porque estou perdida e confusa... e nem sempre o que parece bom para os outros é o que eu estava procurando ou querendo.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Fiquei chateada porque meu celular foi roubado e eu nem percebi... fiquei triste porque era um aparelho velhinho que nao fazia nada dessas coisas "high", mas que eu trouxe com carinho de Barcelona.
Levaram uma coisinha bem minha, em que algumas vezes eu escutava o toque e me lembrava de quando as meninas me ligavam...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Dia do Amigo















Hoje, é o dia do amigo e eu estou longe de todos, de todas aquelas pessoas que na minha caminhada fui encontrando, aprendendo a amar, compartilhar... cada um está muito distante de mim, fisicamente, porque no coraçao lembro todos os momentos que passamos juntos.

Saudades de todos...


"Amigo é coisa pra se guardar

Debaixo de sete chaves
Dentro do coração"


sexta-feira, 17 de julho de 2009

Pequenos detalhes...


Sempre estamos procurando grandes acontecimentos nas nossas vidas, e sem mais, alguém faz uma pequena demonstração de carinho...

Hoje, foi assim... quando eu acordei a D. Genilda (senhora que trabalha em casa) me disse:
- Eu trouxe essa Nossa Senhora do Carmo pra você. Faz um pedido que tudo vai dar certo, é só ter fé.

Achei tão bonito, porque ela está vendo, diariamente, a luta pelas grandes coisas... trabalho, driblar a ansiedade, mas foi esse pequeno detalhe que fez me ver o quanto temos tudo pra dar certo, basta esperar e ter fé.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Meu Primeiro Bordado...


Fiquei duas semanas na praia, com sobrinhos, cunhados... a verdade é que foi tudo muito divertido e relaxante.
E no meio disso tudo a Rose, minha cunhanda, me ensinou a bordar. Me apaixonei.
A cabeça vai pra longe entro pontos e cores e, entao, fiz meu primeiro bordado.


O Bordado


- Quando eu era pequeno, minha mãe costurava muito. Eu me sentava no chão, brincando perto dela, e sempre lhe perguntava o que estava fazendo. Respondia que estava bordando.

Todo dia era a mesma pergunta e a mesma resposta. Observava seu trabalho de uma posição abaixo de onde ela se encontrava sentada e repetia:

- Mãe, o que a senhora está fazendo? Dizia-lhe que, de onde eu olhava, o que ela fazia me parecia muito estranho e confuso. Era um amontoado de nós, e fios de cores diferentes, compridos, curtos, uns grossos e outros finos.
Eu não entendia nada. Ela sorria, olhava para baixo e gentilmente me explicava:
- Filho, saia um pouco para brincar e quando terminar meu trabalho eu chamo você e o coloco sentado em meu colo. Deixarei que veja o trabalho da minha posição.
Mas eu continuava a me perguntar lá de baixo:
- Por que ela usava alguns fios de cores escuras e outros claros?
- Por que me pareciam tão desordenados e embaraçados?
- Por que estavam cheios de pontas e nós?
- Por que não tinham ainda uma forma definida?
- Por que demorava tanto para fazer aquilo?
Um dia, quando eu estava brincando no quintal, ela me chamou:
- Filho, venha aqui e sente em meu colo.
Eu sentei no colo dela e me surpreendi ao ver o bordado. Não podia crer! Lá de baixo parecia tão confuso! E de cima vi uma paisagem maravilhosa!
Então minha mãe me disse:
- Filho, de baixo parecia confuso e desordenado porque você não via que na parte de cima havia um belo desenho. Mas, agora, olhando o bordado da minha posição, você sabe o que eu estava fazendo.

Muitas vezes, ao longo dos anos, tenho olhado para o céu e dito:
- Pai, o que estás fazendo?
Ele parece responder:
- Estou bordando a sua vida, filho.
E eu continuo perguntando:
- Mas está tudo tão confuso... Pai, tudo em desordem. Há muitos nós, fatos ruins que não terminam e coisas boas que passam rápido.
O Pai parece me dizer: 'Meu filho, ocupe-se com seu trabalho, descontraia-se, confie em Mim e... Eu farei o meu trabalho. Um dia, colocarei você em meu colo e então vai ver o plano da sua vida da minha posição.'
Muitas vezes não entendemos o que está acontecendo em nossas vidas. As coisas são confusas, não se encaixam e parece que nada dá certo.
É que estamos vendo o avesso da vida!
Do outro lado, Deus está bordando...

sábado, 27 de junho de 2009

Nada

No fundo eu só queria ter coragem de me abrir, queria entender porque tenho tanto medo de dizer as coisas, o que será que aconteceu que acabei ficando assim?

Não consigo! Fico com um medo, que toma conta de mim e no final, depois de corroer minha cabeça e alma, sempre, acho que a culpa é toda minha e que sou muito infantil, que meus problemas não valem nada, apenas estou fantasiando coisas e criando minhocas na cabeça, estou?

Outro dia, uma amiga me disse que eu tinha que surtar, gritar e arrumar uma briga bem grande, só assim me sentiria leve, será que é isso mesmo?

Acho que sim, não entendo por que por pior que me sinta, por mais que me doa e mesmo com o coração em pedaços, no fim de tudo, eu acabo engolindo seco e ficando com tudo pra mim, aprendendo a lidar com cada coisa amarga. Por quê?

Por que faço mal a mim mesma com medo de fazer mal ao outro, por que prefiro chorar sozinha e depois de tudo, dizer: “Não é nada”. Essa é a minha clássica frase, encontro forças não se sabe de onde e sempre respondo isso, nada... E esse nada é um turbilhão de coisas, de anos, guardando tudo pra mim, cada coisa que passei, cada grito que engoli, cada decepção, cada vontade que tive de dizer tudo, no fim... O velho conhecido... Nada.

Será que sou fraca? Sou falsa comigo mesma? Por que me engano?

Lembro de coisas que passei e sempre foi assim, lembro de momentos e pessoas que tive vontade de dizer o quanto me decepcionaram, o quanto me fizeram sofrer.

Por que? Que medo é esse que me domina?

Outro dia, fiquei assim, as palavras presas na garganta, senti uma dor tão grande, o coração batia acelerado, suava muito e as palavras dando volta na minha boca e o único que consegui fazer foi chorar... Há muito não chorava como aquele dia, chorei com ânsia de choro, de soluçar e tive vontade de ir embora, pra bem longe e lembrei que eu já fui pra bem longe, mas voltei e agora me sinto sem saída, pra onde vou correr? Sinto-me muito, mas muito sozinha, não falo o que sinto pra ninguém e, claro, sinto-me perdida, pra dizer uma coisinha me custa horas de ensaio, e algumas vezes repito tanto o que estou sentindo pra mim mesma que acabo achando que já não vale a pena dizer pro outro.

Meu caderninho está cheio dessas palavras, todas as que fiquei guardando pra mim, é sempre assim, se estou feliz ou triste escrevo. Acho que é a única coisa que consigo fazer quando a tristeza e a agonia tomam conta de mim, escrever e nem sempre tenho coragem de mostrar pra alguém, claro.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

A verdade é que estou me sentindo muito mal, com vontade de chorar, sair correndo, gritar e dizer tudo aquilo que me sufoca.
ESTOU CANSANDA
QUERO ME SENTIR BEM COMIGO
EU TAMBÉM SINTO RAIVA
EU TAMBÉM CHORO DE ÓDIO
EU TAMBÉM TENHO DIREITO DE FICAR ASSIM, COM RAIVA... E MUITA

TENHO QUE ME EXPLICAR TODO O MOMENTO?
TENHO QUE SORRIR TODO MOMENTO?

QUE SACO... SINTO SAUDADE, SINTO VONTADE DE FICAR SOZINHA, SINTO VONTADE DE ME SENTIR QUERIDA.
E QUERO TIRAR ESSE URSINHO AÍ DE BAIXO.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Feliz dia dos namorados!!!


Que pode uma criatura senão,
senão entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Que livro é você?

Essa foi a resposta do meu teste:

"Antologia poética", de Carlos Drummond de Andrade

"O primeiro amor passou / O segundo amor passou / O terceiro amor passou / Mas o coração continua". 

Estes versos tocam você, pois você também observa a vida poeticamente. E não são só os sentimentos que te inspiram. Pequenas experiências do cotidiano – aquela moça que passa correndo com o buquê de flores, o vizinho que cantarola ao buscar o jornal na porta – emocionam você. Seu olhar é doce, mas também perspicaz. 
"Antologia poética" (1962), de Drummond, um dos nossos grandes poetas, também reúne essas qualidades. Seus poemas são singelos e sagazes ao mesmo tempo, provando que não é preciso ser duro para entender as sutilezas do cotidiano.

Estou de acordo...

terça-feira, 9 de junho de 2009

segunda-feira, 8 de junho de 2009

“Eu disse a uma amiga:
— A vida sempre superexigiu de mim.
Ela disse:
— Mas lembre-se de que você também superexige da vida.
Sim.”
Clarice Lispector

Sapão

Eu sempre fui dessas pessoas que se cala, também nunca gostei muito disso, mas aprendi a calar, a devorar todo o instante desordenado, triste e digerir lentamente e encontrar dentro de mim a resposta, muitas vezes, tenho vontade de sair gritando, exigindo, berrando pelos quatro ventos o que não quero, não gosto, mas não, eu me calo... e na maioria, o sapo é tão grande e pesado que preciso ficar deitada, quieta, para conseguir a digestão.
Acho que por isso ando mal do estômago, o sapo que tenho aqui dentro é muito grande...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

sábado, 9 de maio de 2009

Te extraño!!!

Te siento tan lejos de mí
Ya no tengo el alma en calma sin ti...
Rafa.

“No lugar das linhas, borrões”

Cheguei em SP há duas semanas, dias produtivos em que a pulguinha ficou me dizendo o quanto tenho que aprender.
Mas de tudo que vi e escutei uma frase mexeu muito comigo, foi na conferência da Professora Norma Discini (minha antiga professora da graduação).
“No lugar das linhas, borrões”, usou a frase pra explicar uma poesia...
Para mim: Significa que há algo, ainda que de modo dissimulado, nada é previsível.
O borrão nasce de acontecimentos: a gota da chuva, o café que caiu, algo que manchou a continuidade das linhas, são ruins as manchas?
Talvez sim, ou não.
Significa que saímos da mesmice, deixamos de ser previsíveis. Quero eu ser previsível? Quero eu ter uma vida como as linhas de um caderno, certas? Ou quero deixar que as linhas façam curvas, cortem, manchem...
É bom a brisa quente e tranqüila no final da tarde, o azul calmo do mar. No entanto, é o furacão que tira tudo do lugar, derruba, afasta e nos faz arregaçar as mangas olhar para dentro e voltar a construir, assim, sabemos que somos capazes de reconstruir, de fazer, e isso prova que estamos realmente vivos.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Há dias em que a única coisa que queremos é estar só, escondidos num canto onde ninguém consiga nos ver, ouvir, simplesmente, ficar invisível...
Também há dias em que queremos apenas proteçao... que alguém cuide.
Esquecer de se preocupar tanto com os demais e lembrar que nós também sofremos, sentimos, somos.
Dias assim pra ficar quieta num canto, chorando.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Tentando!

Estou tentando, mas eita desânimo!!!
Vai ver é porque estou fazendo dieta, comendo alface e tomando água.
Vontade de devorar meu Toblerone.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Ontem, chorei.

Está sendo tão difícil.
Sinto muita saudade! Do meu cotidiano, das minhas coisas, de me encontrar com as meninas... Fecho os olhos e lembro-me de Barcelona, da sensação de segurança, de estar bem.
A falta de uma rotina e lidar com essa angústia para que as coisas aconteçam me deixam sem energia...
Sinto vontade de ficar deitada e esquecer o mundo. O começo não foi bom e estou tentando me recompor, pensar positivo e lutar para conquistar meu espaço, mas agora, a energia está lá embaixo.
Força, só preciso cutucar minha onça ... que está dorminhoca.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Desafio

Estou na fase do desafio... com medo.
Tento manter o foco, mas nao estou conseguindo.
Medo do que vem, tentando entender por que?

Estou gastando minha energia com algo que nao estava nos planos...

Respirar fundo, bem fundo.

Mudanças...

Mudar não é fácil.

Mudar do frio para o calor: pés inchados, o tempo todo grudando, dormir com ventilador... sol, praia, água geladinha.
Mudar de teclado: onde estão os acentos????
Mudar de idioma: Vale, já vou!!!

Mas as mudanças nos convindam a começar de novo, uma nova vida, um novo caminho... Só é difícil colocar tudo no lugar porque a mudança vem acompanhada de bagunça.

domingo, 5 de abril de 2009

Volta...

Voltar foi bonito, como explicar o carinho recebido por pessoas tao queridas...
Há muito o que fazer, conquistar, abrir novas portas, desbravar o novo e continuar a ser feliz.
Sim, há muitas pedras pelo caminho... sempre haverá, por isso eu aprendi a pular.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Deixando Barcelona

Olhar o apartamento vazio e fechar a porta sabendo que jamais voltará é triste.
Por que todo esse processo nos deixa com o coração tão apertado?
Quando fechei a porta e peguei o metrô, na minha cabeça vinha apenas a imagem do vazio, sabia que ali já não era mais a minha casa.
Cada coisa guardada nos faz lembrar os momentos vividos dentro daquelas quatro paredes.
Cada fotografia, uma vela de aniversário jogada na gaveta nos faz recordar dos amigos, a casa cheia, em festa. O quadrinho da sobrinha na parede, um desenho do sobrinho feito numa tarde de chuva, um pedaço de papel ... lembranças.
O triste de sair de um lugar não é porque estamos indo embora, é porque no momento em que se fecha a porta por última vez percebemos que ali já não existe mais a nossa presença, já não é o nosso lar, apenas um lugar vazio esperando por novas lembranças, novas festas, novos amigos.
O resto está apenas no coração dos antigos vizinhos. Guardado para sempre.

terça-feira, 17 de março de 2009

Despedida

Tomamos cerveja, rimos e abracei a todos.
Depois, apartamento vazio e o coraçao apertado, mas cheio de tanto carinho.

sábado, 7 de março de 2009


Borboleta pequenina que vem para nos saudar

Venha ver cantar o hino que hoje é noite de natal

Eu sou uma borboleta pequenina e feiticeira ando no meio das flores procurando quem me queira

Borboleta pequenina saia fora do rosal

Venha ver quanta alegria que hoje é noite de natal

Borboleta pequenina venha para o meu cordão

Venha ver cantar o hino que hoje é noite de natal

Eu sou uma borboleta pequenina e feiticeira ando no meio das flores procurando quem me queira

Borboleta pequenina sai fora do rosal venha ver quanta alegria que hoje é noite de natal

domingo, 1 de março de 2009

Amigos...

Sentirei muita saudade de cada uma delas...
O mais importante de nossas vidas, realmente, é cada amigo que vamos conquistando em nossa caminhada.
Mais uma partida... uma vez mais... deixando lembranças...
Sinto-me triste.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Volta!


Quando não sabemos o que fazer a vida acaba nos mostrando o caminho, pois foi o que aconteceu, a vida nos mostrou o caminho de volta.
Resolvemos voltar e, hoje, sinto-me com uma mistura de sentimentos, alegria por voltar ao meu país e tristeza por deixar pessoas tão queridas...

Sentirei muita falta da minha querida Barcelona...
Andar pelas ruas do Gótico
Passar todos os dias em frente à Pedreira...
Olhar de longe as pontinhas da Sagrada Família
Das minhas caminhadas pela cidade, apenas olhando
Do restaurante do Rodrigo no Born
Da delícia que é quando chega o verão
De tomar uma clara nas terrazas
De como aprendi a adorar essa cidade tão linda e encantadora.
Mas sentirei falta mesmo é dos amigos que aqui conquistei.
O bom de tudo é que meu coração é grande e cada lembrança ficará guardadinha, para sempre.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Sunday morning

Sunday morning, praise the dawning

it's just a restless feeling by my side

early dawning, sunday morning

it's just the wasted years so close behind

watch out, the world's behind you

there's always someone around you who will call it's nothing at all

sunday morning and i'm falling

i've got a feeling i don't want to know

early dawning, sunday morning

it's all the streets you crossed, not so long ago

watch out, the world's behind you

there's always someone around you who will call it's nothing at all

watch out, the world's behind you

there's always someone around you who will call it's nothing at all

sunday morning

sunday morning

sunday morning

domingo, 25 de janeiro de 2009

Chegada

Sentiu o céu azul e a brisa leve daquela manha.
Começaria uma nova vida...
Estava pronta para começar sua jornada.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Olhou para trás e se foi.
Na maleta levava os sonhos e umas quantas lembranças.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Flores

Quero flores!
Carinho!
Beijinho!
Ser cuidada, mimada com jeitinho.
Um pouquinho de cuidadinho e nao ficar mais sozinha.
Passou.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

2009

Dar adeus a 2008 foi difícil, para mim foi. Tive um ano tenso e intenso.

O começo dele foi complicado, chorei, me decepcionei, tive vontade de desistir, de sumir, depois da tempestade, o sol... Comecei a colher os frutos de uma dura temporada de seca, os congressos, terminar o mestrado, cumprir os 30 e quando eu estava de bem com ele... acaba.

Agora, tenho que conviver com esse outro, o 2009, estou com a cabeça cheia de sonhos e vontades, mas estou sentindo-me petrificada, com medo... tanta coisa interessante me aconteceu, tanta coisa conquistada e agora tenho vontade de ficar escondida e uma vontade de que todos, definitivamente, me esqueçam e me deixem quieta.

O corpo sempre sente, estou com uma dor de garganta terrível, com febre e, claro, vontade de ficar na cama, sem forças e quietinha. Talvez, tenha que esperar e começar a por o pé pra fora, devagar, sem cobranças e sem medo.

Mas necessito estar sozinha, num canto.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Peito cheio!!!

Ainda nao consegui digerir tudo que andou acontecendo, as palavras nao querem sair...